J-League

Edgar Junio e mais quatro brasileiros conquistam J-League após 15 anos

O Yokohama tem cinco brasileiros no elenco: o zagueiro Thiago Martins, o meia Mateus Castro e os atacantes Marcos Júnior, Erik e Edigar Junio

07/12/2019 12h20
Por: Robson Silva
211
Foto: Reprodução/Twitter
Foto: Reprodução/Twitter

O Estádio Internacional de Yokohama, palco de tantas glórias desde sua inauguração, voltou a consagrar mais um campeão neste sábado. Dono da casa, o Yokohama F. Marinos confirmou a conquista da J-League após 15 anos. E não foi um título qualquer: o clube da cidade portuária arrancou na reta final, para tomar a liderança na antepenúltima rodada. Já no último compromisso, veio a irrefutável confirmação. Vice-campeão, o Tokyo FC precisava vencer o confronto direto por quatro gols de diferença. Quem passou o carro foi o Marinos, com o triunfo por 3 a 0, que permitiu ao time encerrar a campanha com uma vantagem de seis pontos.

Sempre presente na elite da J-League desde a temporada inaugural, em 1993, o Yokohama Marinos se manteve como uma potência principalmente na virada do século. O primeiro título aconteceu em 1995, quando Yoshikatsu Kawaguchi era uma jovem promessa na meta da equipe. Após a fusão com o antigo Yokohama Flügels, vieram mais duas taças ao rebatizado F. Marinos. A equipe foi bicampeã em 2003 e 2004. Entre os destaques neste período estavam Tatsuhiko Kubo e Ahn Jung-Hwan, assim como o lateral brasileiro Dutra, adorado em Yokohama.

 

Desde então, exceção feita ao vice em 2013, o F. Marinos se acostumou a vagar pelo meio da tabela. E nem parecia muito diferente nesta temporada, após o 12° lugar em 2018. Os tricolores começaram a campanha de maneira bastante irregular, oscilando até pegar embalo ao final do primeiro turno. Enquanto isso, o FC Tokyo era candidatíssimo a levar a taça para a capital. Sob o brilho de Takefusa Kubo, a equipe começou bem a caminhada e ainda se sustentou na ponta, mesmo com a venda do jovem craque ao Real Madrid.

 

A consistência do Marinos começou no final de agosto. A partir de então, o clube emendaria uma sequência de 11 partidas de invencibilidade, com 10 vitórias e algumas goleadas. Por outro lado, o FC Tokyo titubeava e seus principais jogadores caíam de rendimento. Faltando sete rodadas para o fim, deixou a ponta com o Kashima Antlers. O problema é que o reinado do clube de Ibaraki seria curto, com uma péssima sequência derradeira. Desta maneira, o Yokohama veio babando. Tomou a terceira posição a três rodadas do fim e logo depois saltaria ao topo da tabela. Para não sair mais.

Na rodada passada, a goleada do Marinos por 4 a 1 sobre o Kawasaki Frontale, quarto colocado, já dava contornos à conquista. O empate do FC Tokyo com o Urawa Red Diamonds ajudava mais. Assim, o compromisso final guardaria justamente o confronto direto no Estádio Internacional de Yokohama. O Tokyo dependia de uma goleada por 4 a 0. Porém, os anfitriões conquistaram a vitória elástica. Diante de 63 mil nas arquibancadas, os gols no triunfo por 3 a 0 foram de Theerathon Bunmathan, Erik e Keita Endo. Nem mesmo a expulsão do bom goleiro Park Il-gyu, aos 19 do segundo tempo, atrapalhou a imposição dos tricolores.

 

A campanha do Marinos foi liderada por Ange Postecoglou, treinador da Austrália na Copa de 2014. Já em campo, vários brasileiros terminaram entre os destaques. Emprestado pelo Palmeiras, Thiago Martins foi um dos esteios na zaga. Marcos Júnior conquistou a torcida e terminou na artilharia, com 15 gols. Edgar Junio era outro com moral e balançou as redes 11 vezes, embora tenha se lesionado na reta final da campanha. Abriu espaço para Erik, que deixou o Botafogo no meio do Brasileirão para virar herói em Yokohama. O atacante, ainda vinculado ao Palmeiras, comandou a arrancada decisiva com oito gols e quatro assistências em 12 partidas. O ponta Mateus, ex-Bahia, foi outro a chegar depois e a contribuir.

 

Obviamente, há também bons valores entre os locais do time. Teruhito Nakagawa arrebentou pelo lado direito do ataque, impulsionando os bons números ofensivos. O japonês anotou também 15 gols e serviu 13 assistências, liderando a competição em ambos os quesitos. Não à toa, passou a ser convocado à seleção, ganhando sua primeira chance aos 27 anos. Vale destacar também Keita Endo, prata da casa de 22 anos. O jovem nem sempre foi titular, mas teve participação marcante na rotação, também levado aos Samurais Blues. Mais atrás, o zagueiro Shinnosuke Hatanaka se firmou como uma liderança. Já o capitão é o volante Takuya Kida, de apenas 25 anos, mais um formado na própria base.

Até pelo alto número de jogadores decisivos na frente, o F. Marinos sobrou pela alta produtividade de seu ataque. Foram 68 gols em 34 partidas, 11 a mais do que qualquer outro concorrente. As goleadas no final ajudaram nesse sentido. E a expectativa é de que a arrancada não seja uma mera exceção ao clube de empolgada torcida, que registrou média de 27 mil na temporada, com cinco partidas de ingressos esgotados no Estádio Internacional. Yokohama agradece. O futebol da cidade encerra um 2019 especial, depois que o Yokohama FC (de Shunsuke Nakamura e Kazu Miura) também subiu à primeira divisão. O clássico terá um sabor especial na próxima edição da J-League.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Água Fria - BA
Atualizado às 10h06
32°
Poucas nuvens Máxima: 36° - Mínima: 22°
36°

Sensação

13 km/h

Vento

54.1%

Umidade

Fonte: Climatempo
Municípios
Últimas notícias
Mais lidas