Quarta, 22 de Setembro de 2021
19°

Poucas nuvens

Água Fria - BA

Tênis ATP 500

Melo e Daniell estão nas quartas de final no ATP 500 de Washington

Dupla estreou com vitória na noite desta quarta-feira (4) diante de Arevalo e Middelkoop. Os próximos adversários serão os australianos Minaur e Millman

05/08/2021 às 15h23
Por: Redação EF
Compartilhe:
Marcus Daniell e Marcelo Melo (Divulgação)
Marcus Daniell e Marcelo Melo (Divulgação)

 O mineiro Marcelo Melo e o neozelandês Marcus Daniell avançaram para as quartas de final do ATP 500 de Washington, nos Estados Unidos. Na noite desta quarta-feira (4), Melo e Daniell venceram o salvadorenho Marcelo Arevalo e o holandês Matwe Middelkoop por 2 sets a 0, parciais de 7/6 (10-8) e 6/2, em 1h15min. O torneio é o primeiro da sequência até o US Open, Grand Slam marcado para o final deste mês. Os próximos adversários serão os australianos Alex de Minaur e John Millman, que venceram os cabeças de chave 1, o australiano John Peers e o eslovaco Filip Polasek, por 2 a 1 – 7/6 (7-4), 5/7 e 10-7.

“Foi um belo jogo, pela primeira vez que estamos jogando juntos. O Marcus vem com uma energia muito boa, ele que ganhou a medalha de bronze agora na Olimpíada. Tivemos um primeiro set muito duro, 10-8 no tie-break, cada ponto bem jogado. Jogamos muito bem, eles também. Foi muito bom para nós", explicou Marcelo, que tem o patrocínio de Centauro e BMG, com apoio da Volvo, Head, Voss, Foxton, Asics, Bolsa Atleta e Confederação Brasileira de Tênis.

A dupla Melo e Daniell foi formada apenas para este torneio. Melo viajou do Japão, onde representou o Brasil nos Jogos Olímpicos, para os Estados Unidos, enquanto seu parceiro, Lukasz Kubot, seguiu primeiro para a Polônia. A partir da próxima semana, retomam a parceria.

"Marcus está muito feliz por estar jogando esta semana também. E agora é passo a passo. Conseguimos a primeira vitória. Vamos manter a mesma energia, o mesmo foco, rodada a rodada, para quem sabe ir bem no torneio”, completou.

O primeiro set, sem quebras, foi decidido em um disputado tie-break, em que as duas duplas salvaram set points, e terminou com a vitória de Melo e Daniell por 10-8. No segundo, o mineiro e o neozelandês conseguiram a quebra no terceiro game, abrindo na sequência 3/1. Com mais um break, no sétimo game, ampliaram em 5/2 e fecharam em seguida, 6/2, para dar o primeiro passo em Washington.

No ranking mundial individual de duplas divulgado pela Associação dos Tenistas Profissionais (ATP), Melo está em 19º lugar, com 4.950 pontos.

Recordista em títulos e semanas no topo do ranking – Recordista brasileiro em número de títulos, com 35 conquistas, e também em semanas no topo do ranking da ATP – 56 -, assim como em participações no ATP Finals – completou oito seguidas em 2020 -, Marcelo somou mais um recorde ao chegar a 500 vitórias, na estreia no ATP 500 de Washington, em julho de 2019, passando a ser o 35º jogador de todos os tempos a atingir essa marca.

Entre 2017 e 2018, Marcelo ficou 30 semanas – 25 consecutivas - como líder do ranking mundial individual de duplas da ATP (13 semanas em 2017 – terminando o ano como número 1 - e 17 semanas em 2018). Antes, ocupou a liderança pela primeira vez em 2015, por 22 semanas, também virando o ano na frente, e voltou ao primeiro lugar por mais quatro semanas a partir de maio de 2016. Único brasileiro na história a ser número 1 do mundo em duplas.

Em 2020, no México, no ATP 500 de Acapulco, o mineiro Marcelo conquistou o 34º título da carreira, o 14ª com o polonês Lukasz Kubot, e no mês de outubro, no ATP 500 de Viena somou o 35ª da carreira, 15º com Kubot. Pelo 14º ano consecutivo comemora no mínimo um título por temporada. Juntos, Melo e Kubot ganharam pelo menos um torneio por ano desde 2015.

Dos 35 títulos, todos em duplas, dois são Grand Slam – Roland Garros, na França (2015) e Wimbledon, em Londres (2017) e nove Masters 1000, além de nove ATP 500 e 15 ATP 250. 

Dez vitórias em 2021 - Em 2021, Marcelo Melo tem três vitórias ao lado do romeno Horia Tecau, uma na estreia no Murray River Open (ATP 250) e duas no Australian Open, ambos em Melbourne. Uma vitória jogando com a russa Vera Zvonareva na estreia nas duplas mistas do Grand Slam. Duas vitórias com Jean-Julien Rojer, na estreia do ATP 250 de Doha e na estreia do Masters 1000 de Madri. Três vitórias com Lukasz Kubot em Wimbledon. E uma com Marcus Daniell em Washington. 

Em 2020, Melo e Kubot somaram 22 vitórias, na estreia no Australian Open e no ATP 250 de Adelaide, na Austrália, duas no Rio Open, quatro em Acapulco, uma no Masters 1000 de Cincinnati, uma no ATP 500 de Hamburgo, uma na estreia em Roland Garros, três no primeiro ATP 250 e uma no segundo em Colônia, quatro em Viena, duas em Paris e uma no ATP Finals.

Marcelo, 37 anos, e Kubot, 39 anos, formaram parceria desde o início da temporada 2017, encerrada no final de 2020 e retomada agora. Antes, jogaram em torneios como o ATP 500 de Viena, em que foram campeões em 2015 e 2016.

Em 2020, Melo e Kubot terminaram como a sétima melhor parceria do ano, com 2.340 pontos. No ranking mundial individual de duplas, pela oitava temporada seguida, Marcelo ficou entre os Top 10. No ano passado, foi décimo. Em 2019, sétimo. Em 2018, nono do mundo, primeiro em 2017 e 2015, oitavo em 2016 e sexto colocado em 2013 e 2014.

O primeiro título de Marcelo em torneios ATP foi em 2007, no Estoril, em Portugal. Tem dois Grand Slam, além de um vice em Londres (2013) e um vice (2018) e duas semifinais no US Open. Marcelo também lidera no número de títulos em Masters 1000. Em Xangai 2018 chegou ao nono, depois de ganhar Xangai (2013 e 2015), Paris (2015 e 2017), Toronto (2016), Cincinnati (2016), Miami (2017) e Madri (2017).

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Enquete
Ele1 - Criar site de notícias